Manifesto Ciborgue

O corpo se tornou este objeto ameaçador do qual temos a obrigação de cuidar.
Jean Baudrillard

Espetáculo/performance para dois atores é o primeiro trabalho da Trilogia da Matéria, e tem seu título retirado de um dos artigos da filósofa norte-americana Donna Haraway (Manifesto Ciborgue: ciência, tecnologia e feminismo socialista no final do século XX). Escrito em 1985, no auge dos filmes de ficção cibernética como Exterminador do Futuro e Blade Runner, este artigo teve um impacto imediato sobre toda a comunidade acadêmica mundial, principalmente nos campos da filosofia e antropologia. Nele discute-se o conceito de ciborgue e a possível existência de um corpo cibernético na contemporaneidade.
Manifesto Ciborgue fala das possibilidades criadas pelas novas tecnologias para que o sujeito contemporâneo possa transformar o seu próprio corpo; um assunto frequente na mídia em geral e que esconde, atrás da banalidade da simples vaidade, um conteúdo complexo e altamente político.
Este trabalho trata, acima de tudo, da composição e da decomposição do corpo; de quais são seus elementos constituintes; do que há neste corpo que mesmo não tendo surgido dele próprio o possibilita existir; do que sobra dele depois de sua destruição; das próteses que sobrevivem ao orgânico e se transformam em memória do sujeito do qual fez parte; da consciência da degradação da carne e a tentativa desesperada de desativar este mecanismo autodestrutivo e com prazo de validade.
Este é o lugar onde Kafka encontra-se com Michael Jackson.
Foi apresentado em 2009 no Teatro Glaucio Gill, em 2010 no ECM Sérgio Porto. E em 2011 no Four Days Festival of Prague. Em 2012 participará do Sacred Festival no Chelsea Theatre, Londres.

Ficha Técnica
Argumento Original e Direção: Joelson Gusson
Criação: Joelson Gusson, Leonardo Corajo e Lucas Gouvêa
Em Cena: Leonardo Corajo e Lucas Gouvêa
Assistência de Direção: Candice Abreu e Lidia Olinto
Poemas: WJ Solha
Paisagem Sonora: Dragão Voador
Luz: José Geraldo Furtado
Cenografia e Figurinos: Joelson Gusson
Coreografia/Street Dance – Daniel Figueiredo
Coreografia/Tango – Lídio Freitas